Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018 -
     
 


Prefeitura de Colina comemorou Dia da Consciência Negra com “Festival AFRO” na Praça

23/11/2018



Evento reuniu exposição fotográfica, oficinas, feira com venda de roupas, acessórios, artesanato, produtos da culinária afro, apresentações musicais e de dança africanas.


Em comemoração ao Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, a Prefeitura Municipal de Colina realizou o “Festival Colina AFRO” no último sábado, dia 17 de novembro, na Praça Central.

O evento, realizado durante todo o dia, promoveu uma reflexão sobre a contribuição da cultura afro para a sociedade brasileira, ressaltando sua importância para a história, economia e etnia colinense, de modo a valorizar a identidade negra e impulsionar a cultura da educação, da convivência e aceitação da diversidade.

O grupo RoJuNe – Rolê da Juventude Negra e Periférica, de Ribeirão Preto foi parceiro do evento, realizando oficinas e a feira típica com a venda de artesanato, roupas, bijuterias, entre outros acessórios de moda afro; apresentações musicais e dança africanas.

Durante as oficinas, a população colinense presente no evento pôde aprender como fazer os penteados com turbantes, a maquiagem adequada para pele negra, pintura facial e corporal, chaveiros, entre outras atividades.

Os colinenses também aprenderam a confeccionar versões das bonecas “Abayomi” – uma tradição africana, símbolo da resistência contra a escravidão e os preconceitos. A oficina ensinou o processo de criação e discutiu a importância histórica e o significado sócio-cultural das bonecas.

A história das Abayomis

Quando os negros vieram da África para o Brasil como escravos, atravessaram o Oceano Atlântico numa viagem muito difícil. As crianças choravam assustadas, porque viam a dor e o desespero dos adultos. As mães negras, para acalentar suas crianças, rasgavam com as próprias mãos, tiras de pano de suas saias, e faziam bonecas para os pequenos brincarem. Essas bonecas são chamadas de Abayomi, bonecas sem costura alguma, apenas nós ou tranças.

“Anastácia: hoje elas falam” – exposição fotográfica

O Festival ainda contou com a exposição fotográfica inspirada na famosa foto da escrava Anastácia, que foi sentenciada a usar uma máscara de ferro por resistir à violência sexual e suportou por anos a violência dos espancamentos que só terminaram com a sua morte. Segundo a fotógrafa Sheila Brandão, responsável pela exposição, essa é a sua forma artística de contribuir e mostrar que a mulher negra hoje tem voz.

Exposição de arte dos alunos da EMEF “Ananias Nascimento”

Os alunos da EMEF “Ananias Nascimento”, orientados pelos seus professores, desenvolveram atividades pedagógicas, culturais e de conscientização sobre a temática afro, no mês de novembro. Esses trabalhos foram transformados na belíssima exposição “Consciência Negra” que está disponível para visitação pública no Museu Municipal nos próximos quinze dias.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, por meio do CRAS, também participou do Festival com a distribuição do informativo: “VIVA SEM RÓTULOS” e a oficina para a produção de chaveiros personalizados afro, destinada às famílias que integram os grupos PAIF – Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família e SCFV – Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos.

“O dia 20 de novembro é uma data para se evidenciar a conscientização e a reflexão sobre a importância do povo africano para a cultura, a história, a economia, a política, a gastronomia e a religião local e nacional. Essa é uma data que devemos comemorar nas escolas e em todos os espaços culturais e sociais, desconstruindo qualquer preconceito e valorizando a cultura afro-brasileira”, destacou a Profª. Elizabete Milani Neme, responsável pelo expediente da Secretaria Municipal de Educação e Cultura.

Para o Prefeito Dieb Taha, o evento visou evidenciar a contribuição da população afro local para a cultura, economia, história e etnia colinense. “A sociedade caracteriza-se por uma pluralidade étnica e os preconceitos desvalorizam as pessoas e estimulam a discriminação, embora a Constituição Federal de 1988 assegure que todos são iguais perante a Lei, sem distinção de qualquer natureza”.

O “Festival Colina AFRO” foi realizado pela Prefeitura Municipal, organizado pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura, com o apoio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e do COMTUR – Conselho Municipal de Turismo.

Tetê Poliseli
Assessora de Imprensa
Prefeitura Municipal de Colina

Fotos:
Júlio César Gonçalves, "Biguri".