Quarta-Feira, 18 de Outubro de 2017 -
     
Home > SAAEC > Esgoto
 


Histórico da coleta e do tratamento de esgoto de Colina

Quanto à rede coletora de esgoto de Colina, esta possui 128,4 km de extensão e a média de esgoto gerando por pessoa é de 160 litros/habitante/dia.

Nós contamos com 100% de Esgoto tratado, através de lagoas de estabilização, sendo que, 10% são tratados na ETE 1, localizada na rodovia Renê Vaz de Almeida, perto da Vila Guarnieri e após o tratamento esta água é lançado ao Córrego Ribeirão das Palmeiras, onde a nascente é na Fazenda do Monte Belo. Os outros 90% de esgoto é destinado para a ETE 2 do Retirinho e após o tratamento é lançado no córrego do Retirinho, sendo a nascente do mesmo na Fazenda Baixadinha, onde este Córrego conta com a preservação da mata ciliar.     
                       
Estação de tratamento de esgoto do córrego retirinho: ETE 2

A Estação de Tratamento de Esgoto – ETE do Retirinho entrou em funcionamento no dia 02 de Setembro de 2009, com uma vazão média de 42,4 l/s ou 152,64 m3/h.

O esgoto chega até a ETE através de 2 km de emissários que foram construídos. O emissário é um canal que conduz 90% do esgoto bruto produzido na cidade até o sistema, onde passa por tratamento antes de ser lançado no meio ambiente.

O Tratamento do Esgoto inicia-se na Calha Parshall, onde as grades metálicas retém a parte sólida do esgoto que será aterrada no aterro sanitário. Essa Calha possui duas saídas que servem para decantar, ou seja, reter o material pesado. A vazão da água, que passa pela calha, também pode ser conhecida a qualquer instante.         

Depois de passar pela Calha Parshall o esgoto é lançado primeiramente na Lagoa Anaeróbia (menor), mais profunda e que possui lâmina de água com altitude de 4 metros. O esgoto fica retido nessa lagoa, onde proliferam bactérias que não precisam da presença de luz e nem de oxigênio, por 5 dias antes de ser lançado na Lagoa Facultativa (maior), com espelho de água de 30 mil/ m2 e altura de 2 metros. Nessa Lagoa, que é mais rasa porque as bactérias precisam da presença de luz e do oxigênio, o tratamento dura 15 dias.

Após passar por todo o sistema, o esgoto tratado é lançado no Córrego do Retirinho através de dissipador, em forma de escada, para provocar a oxigenação da água liberada da estação. O desnível acentuado provoca a oxigenação da água em volume suficiente para fazer o tratamento final. O córrego irá diluir toda a carga orgânica do esgoto que foi tratado com eficiência mínima de 80%. Os 20% restantes, que a lagoa não vai tratar, o córrego tem que ter vazão suficiente para fazer esse complemento do tratamento.

O Volume da Lagoa Anaeróbia é de 10.989,4m3 e da Lagoa Facultativa é de 54.947,71m3.

A área do espelho d’água é 26.404,56m2 da lagoa facultativa.

A vazão máxima da ETE é de 67,18l/s ou 241,84 m3/h e a vazão média são de 42,4 l/s ou 152,64m3/h.

As Lagoas Foram Impermeabilizadas com uma Manta de Gel Membrana Sintética. O local possui cerca de 6 alqueires, o equivalente a 121 mil m2 e a área onde estão às lagoas possui cerca de 35 mil m2.

Estação de tratamento de esgoto – Nosso Teto/Vila Guarnieri: ETE 1

A Estação de Tratamento de Esgoto – ETE 1 Nosso Teto/Vila Guarnieri, está situada a Rodovia Renê Vaz de Almeida, Km 2, possui o mesmo sistema de construção e de tratamento da ETE citada anteriormente. Sendo responsável por 10% restante de coleta e tratamento de esgoto sanitário, correspondente aos bairros Nosso Teto/Vila Guarnieri e Conjunto Habitacional Djalma Paro.

O esgoto chega até a ETE Nosso Teto/Vila Guarnieri, através de dois emissários, um executado com manilha de barro vidrado de 200 mm (8¨), com comprimento de 200 metros e um recentemente executado com tubo de PVC com anel de borracha de diâmetro de 250 mm (10¨) com uma extensão de 200m. O Tratamento do Esgoto inicia-se na Calha Parshall, onde as grades metálicas retêm a parte sólida do esgoto que será aterrada no aterro sanitário. Essa Calha possui duas saídas que servem para decantar, ou seja, reter o material pesado. Depois de passar pela Calha Parshall o esgoto é lançado primeiramente na Lagoa Anaeróbia (menor), mais profunda e que possui lâmina d’água 426,42 m2 com profundidade de 3m e 50 cm. O esgoto fica retido nessa lagoa, onde proliferam bactérias que não precisam da presença de luz e nem de oxigênio, por 5 dias antes de ser lançado na Lagoa Facultativa (maior), com espelho d’água de 12.150 m2 e profundidade de 1 m e 10 cm. Nessa Lagoa, que é mais rasa porque as bactérias precisam da presença de luz e do oxigênio (A luz e o oxigênio que vão eliminar as bactérias), o tratamento dura 15 dias. Tendo como vazão máxima 12,81 l/s ou 46,11 m3/h e a vazão média 7,74 l/s ou 27,86 m3/h.

O lançamento do efluente é feito através de uma rede executada com manilha de barro vidrado com DN de 200 mm numa distância de 1.240m até ser lançado no Ribeirão das Palmeiras.

A vazão máxima das duas ETES (ETE 2 + ETE 1) é de 79,99l/s ou 287,95 m3/h e a vazão média das duas ETES (ETE 2 + ETE 1) são 50,14 l/s ou 180,50 m3/h.

Aqui foi efetuado um resumo das atividades do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Colina – SAAEC. Órgão responsável pela captação, tratamento e distribuição da água e coleta e tratamento do Esgoto do Município de Colina. Este resumo foi elaborado e revisado pela Química responsável do SAAEC, Renata Paro.

ETE  Sítio Colina - Córrego do Retirinho